martthavaleestaNa contramão da crise que assola o país desde 2014 a área farmacêutica, no estado do Tocantins tem ganhado forte expansão. Fato comprovado pelos números captados ao longo destes últimos três anos, pelo Conselho Regional de Farmácia do Estado (CRF/TO). Só para se ter ideia, a média anual de aberturas de novos estabelecimentos está acima de 100. E o número de profissionais contratados saiu da casa de 309 ao ano, em 2014 para 508 em 2016. E até agora, em 2017 houve 487 novos processos de contrato de trabalho firmados registrado pelo CRF/TO. 

 

 Assim a demografia farmacêutica no estado, acompanha o mesmo ritmo. Hoje, o Tocantins possui 1.089 estabelecimentos farmacêuticos, entre públicos e privados e cerca de 1.620 profissionais inscritos. Em 2013 o número de profissionais inscritos durante todo o ano foi de 118, três anos depois, em 2016 estas inscrições subiram para 158, anualmente.  Só neste ano (2017), já foram emitidos mais de 100 novos registros no CRF/TO e ainda estamos iniciando o mês de setembro.

 

Para a presidente do CRF/TO, Dra Marttha Franco Ramos, existem vários fatores que impulsionaram este crescimento do ramo. “Grandes redes de farmácias perceberam um potencial muito grande, aqui no Tocantins e se instalaram aqui. Gerando mais empregos diretos e indiretos na área. Tem também o fator do estado possuir quatro faculdades de Farmácia renomadas e que estão pondo anualmente no mercado, novos profissionais qualificados para atender a demanda. E estes novos farmacêuticos também estão empreendendo e abrindo muitas vezes, o próprio negócio”, explicou ela.  

 

Também de acordo a presidente do CRF/TO existem outros fatores determinantes, para esta expansão. Um deles seria o fato das farmácias comercializarem produtos de primeira necessidade, para população. O outro seria a diversidade de produtos que podem hoje ser encontrados nos estabelecimentos, como os de perfumaria, suplementos e artigos voltados à beleza. “Um aspecto importante que fez o setor farmacêutico não sofrer com a crise foi o fato dos estabelecimentos terem inovado, buscado mais alternativas para os consumidores. E o modelo de negócio farmacêutico está apenas se adaptando e a gente vê com bons olhos esta tendência de mercado”, ressaltou ela. 

 

novafarmaciaAlém disso, ela aponta as mudanças da legislação voltada ao trabalho dos profissionais da área que agora prestam a sociedade um serviço mais próximo, chamado de “Assistência Farmacêutica” como mais um ponto positivo. Modelo em que a farmácia conta com um profissional preparado para realizar pequenas consultas como aferição de pressão e testes de glicemia, por exemplo. Também é feito o trabalho de análise do medicamento que o paciente está tomando, avaliando as reações adversas que ele está provocando.

 

 Ainda sobre este assunto, a presidente do CRF/TO concedeu entrevista a vários veículos de imprensa do estado, entre eles o Jornal do Tocantins, onde disse ter safisfação em divulgar estes números e esta nova característica relacionada a evolução do profissional de farmácia. “É o nosso modelo de farmácia clínica, já bem adaptada nos grandes centros e que principalmente as franquias já vem se adequando aos poucos. Para isso, temos profissionais realizando especializações voltadas à residência em saúde que dedica 80% do conteúdo, voltada à prática e ao atendimento a comunidade. Fico feliz em falar sobre estes números no Tocantins e creio que esta será a tendência para no mínimo os próximos cinco anos. Como presidente de uma instituição tão importante para o nosso estado, estou acompanhando de perto tudo que é feito em prol de melhorias para a classe e também para a população que é atendida por ela. A gente crê que novos tempos, ainda melhores virão”, finalizou a Dra. Marttha Franco Ramos que já está há quase 4 anos à frente do Conselho.

  

Ascom CRF/TO